terça-feira, agosto 31

[explosivo]

Uma situação aparentemente simples mas que pode levar, ainda mais, ao extremar das posições religiosas (e raciais) na sociedade francesa. A acompanhar com atenção...

[Cuidado]

...vêm aí os Comunistas
Se vencesse com maioria relativa, o PS não resistiria à tentação de um acordo político com o PCP para segurar o poder, seja com incidência parlamentar ou mesmo com tradução governativa, tornando assim o Governo dos Açores numa aberração da Europa moderna. Os açorianos que votassem César teriam "dois em um" com Decq Mota!!!
por José Andrade ao Açoriano Oriental de 31/08/04. Quem fala assim é [co-ligado]...

--->--->--->---v

Peço desculpa aos co-bloggers e aos leitores do :ILHAS, por esta falta de sentido de oportunidade tendo em conta o "tema" em debate, mas não posso deixar passar esta "queda". Ninguém sabe - ainda - como é que a "coisa" não ocorreu há mais tempo. Pelos vistos, voar nos Açores requere alguma "correcção".

Outros Abortos

Sem aviso nem very-light, lembrei-me de um dado que pode ter muito a ver com o péssimo filme em que se transformou a vinda do bote da Women on Waves aos mares portugueses. A verdade da coisa é que a maioria do povo português vive ainda nessa inquisitória angustia católica que proíbe o sexo antes do casamento, o sexo sem fins multiplicadores, o sexo sem parceiro, o sexo com parceiro do mesmo sexo, o sexo sem amor, o sexo pelo prazer do sexo, o sexo, o sexo, o sexo.

No fundo esse é o problema, estamos a falar de sexo. Não se trata da vida e da saúde de inúmeras mulheres, como o TóZé se esforça em evidenciar, não é uma questão de cultura e de educação e de, valha-nos DEUS, humanismo, não, não, é tudo uma questão de sexo, é tudo uma questão de, como disse o Sr. Portas, de violarem a nossa soberania nacional. Só as minorias se levantam em grito porque estamos a falar de sexo. A maioria dos portugueses não votou no referendo e não diz nada agora como não dirá daqui a vinte anos porque alguém na família fez um aborto, ou conhece alguém que fez um aborto, 99% das vezes, à luz da lei nacional, clandestino.

Não consigo deixar de pensar que...

Só espero que nenhuma mulher portuguesa estivesse a contar com o barco "Women on Waves" para proceder a uma interrupção voluntária de uma gravidez, senão, foram horrivelmente usadas por todas as partes envolvidas.

Women on Wheels

Proponho aos/às organizadores/as do circo do barco "Women on Waves", que organizem um novo circo ambulante, autocarros de senhoras que queiram ir fazer a interrupção voluntária de gravidez a Espanha. Será que o governo vai proibir o autocarro de parar na gare de partida de autocarros? Tudo é possível...

Todas as mulheres portuguesas deveriam ser obrigadas a fazer um teste de gravidez à saída de Portugal e, quando positivo, um consequente teste de estado de gravidez à entrada. Assim os abortos efectuados no estrangeiro teriam que ser acompanhados por um certificado de declaração de aborto natural passada pelo responsável pela clínica aonde a interrupção voluntária de gravidez tinha sido consumada.

Sentido de Voto

Vivemos desde há muito o mais do que apregoado fim das ideologias. Os governos agem pela força das sondagens e dos lobbys e não pelos ideais ou pelas pessoas. Hoje para estar no poder basta ser bonito, esperto e servil. Toda e qualquer noção de serviço público será severamente castigada. As massas querem ópio para esquecer a falta de pão. É precisamente por isso que, mais do que nunca, um partido político como o PS devia dar à sociedade uma mensagem de firmeza nos ideais, na ideologia, numa ideia segura e concreta de esquerda para o país. É precisamente por isso que os militantes do PS devem reflectir ao votar se o estão a fazer apenas para que o partido volte ao poder a qualquer preço, sem um mínimo fundo de verdade, ou se pelo contrário, preferem que o partido mesmo não chegando ao poder seja dentro da sociedade portuguesa um lugar de referência na defesa dos valores humanistas e democráticos que sempre foram do PS. Votar em José Sócrates só porque este é o melhor colocado para derrotar Santana, não é uma alternativa é continuidade. Sócrates é o Santana do PS. Deixemos a cobiça e vamos acreditar na mudança. Eu vou votar em Manuel Alegre, pelo PS e por Portugal.

Abortos

Este circo todo só demonstra até à exaustão que há muito que esta coisa do aborto devia estar resolvida. Não se trata de liberalizar, mas de legalizar, dentro de parâmetros clínicos e legais, o aborto, sendo a decisão da responsabilidade dos envolvidos, sem restrições. Mas como vivemos num país de beatas estamos metidos neste circo. É puro carnaval de ambos os lados, mas o mais degradante é ver o Governo do país não a governar mas a, de forma absolutamente tirânica, substituir-se às instituições. Se algum crime viesse a ser cometido era à polícia e aos tribunais que competia agir, mas não, o nosso governo troglodita acha que deve actuar antes de qualquer coisa acontecer. Como disse o advogado de Coimbra, Marinho Pinto, o Sr. Portas mobilizou mais meios contra este bote do que contra toda a maré negra do Prestige. É grotesco, mas é verdade. Em democracia um governo deve cumprir a vontade da maioria mas sempre defendendo as minorias. Nunca um governo democrático pode impedir uma minoria de manifestar a sua opinião, seja ela qual for e por quaisquer meios, se houver crimes são punidos pelos tribunais. Mas no fundo o Sr. Portas está apenas a ser coerente com ele próprio, o mal é que só menos de 8% dos portugueses é que votaram no Sr. Portas, que só lá está por obra e graça dos Srs. Durão e Sampaio. A culpa é toda sua Sr. Sampaio, toda sua. Como alguém dizia o outro dia, se calhar fui eu mesmo, Portugal está entregue às bichas.

segunda-feira, agosto 30

E ainda a propósito de Natália Correia

Este "é" o escritório reproduzido no espaço da Biblioteca Pública e Arquivo de Ponta Delgada - numa parcela da exposição Mátria. A casa museu está em obras de reabilitação, na Fajã de Baixo, e é o espaço pretendido para o "depósito" do espólio da escritora. Mas, a "luta" não se prevê "pacífica"...

Fernando...sai 1 Vedett!

Não há muito tempo atrás fui rótulo de cerveja em edição limitada a 4000 verdes vedett's.

Juro que é verdade...

Hoje recebi um vírus de almeidasantos@ps.parlamento.pt.
A minha vida é uma excitante aventura...
Só falta dedicar-me, também, à geneologia do Castelo Branco...

Mulheres na Onda

- Bom dia! Linha Verde, Mulheres na Onda! Em que é que posso ajudar?
- Olhe, bom dia! O meu nome é Etelvina Pereira da Silva, eu estava marcada para ir ao barco que as senhoras têm cá, mas eu ouvi ontem no noticiário que afinal o governo já não deixa o barco atracar?!?
- Sim senh...
- O que é que eu faço agora?!?
- Sim senhora! Eu vou passá-la à nossa conselheira, que se encontra de serviço.
- Com quem?... Sim???

- Está sim? Fala a Mariana, diga se faz favor!
- Olhe D. Mariana, eu estava marcada para hoje mas vi no telejornal que o barco já não vem!!?!!
- O seu nome, se faz favor!
- O meu nome? Áh! Etelvina Pereira da Silva, é que eu estava marcada para hoje e...
- Sim, Etelvina. Ora vamos lá a ver... A Etelvina estava realmente marcada para hoje, mas na realidade o barco não conseguiu aportar...
- E agora!!?!!
- Agora Etelvina, nós ainda estamos com esperança de conseguir que o barco aporte. Sabe, temos muita gente a apoiar-nos e o governo português está a sofrer pressões de muitos dos países da União Europeia e não só?
- E eu?
- É assim Etelvina, mesmo que o barco não aporte nós estamos a organizar um transporte, proporcionado por voluntários, donos de barcos de recreio, que levarão as senhoras até ao barco, que se manterá estacionado em águas internacionais. ... Percebeu?
- E isso é hoje??
- (risinho silencioso) Hoje não vai dar Etelvina! É preciso organizar tudo. Tá a ver?
- O que eu sei, minha rica senhora, é que eu pedi hoje o dia à patroa. Ela não me vai dar outro! Os filhos estão todos em casa, e ela recomeça a trabalhar na quarta-feira. ... E o meu namorado? ... Eu disse-lhe que ia com os filhos da patroa para a praia o dia todo... Agora tenho que sair de casa para algum lado, até logo à noite...
(começa a chorar)
Sabe, é que ninguém sabe!!! (entre soluços) E agora o que é que eu faço com um filho que já decidi que é para morrer? Aham? ... Merda? (desliga)
- Etelvina. ... Etelvina? Está? Está? Etelvina? ...

Etelvina correu para a cozinha, por estar mais perto, e projectou o que só podia ser ainda o jantar (o pequeno almoço tinham-lhe dito para não tomar) na bacia, que continha ainda a loiça do pequeno-almoço do João. Era só uma malga, um copo e alguns talheres, o bastante para que o seu vómito ficasse em parte, ali, retido e concentrado. Olhou, e vomitou de novo. Se ao menos com aquele vómito lhe saísse, também, aquela criança? Olhou para a malga, e não viu criança nenhuma. Com a ponta do dedo virou a malga e o copo, e abriu a torneira. Deixou correr até tudo o que era vómito desaparecer, e depois o cheiro também. Fechou a torneira e ficou ali debruçada, cansada, suada. Tornou a abrir a torneira e passou um bocadinho de água pela cara. Levantou-se, virou-se e encostou-se. A luz da manhã ardia-lhe nos olhos. Ia-se deitar um bocadinho. Tinha para aí duas horas até o João voltar, se decidisse almoçar em casa. Dirigiu-se para o quarto, ligeiramente tonta, pesada das pernas e leve da cabeça. Fechou as persianas, e atirou-se para a cama. Cobriu-se, vestida. Enrolou-se na posição fetal, abraçou a barriga, chorou baixinho e deixou-se adormecer... só um bocadinho...

sábado, agosto 28

[ninguém diria]

"Apontamentos genealógicos sobre Natália Correia e Ângela de Almeida". Não faço ideia daquilo que pensam sobre isto - e não me refiro ao Encontro de Genealogistas. Mas esta "coincidência" é, no mínimo, deliciosamente hilariante.

sexta-feira, agosto 27

[weekender]

Esta gente mete-me nojo...

Não sei bem como escrever isto porque estou zangado. Nem sequer aonde está a razão em relação a certos factos e dados. Mas uma coisa tenho a certeza absoluta, a razão não está, nem pode estar, na arrogância, com laivos de superioridade, com que um ministro do governo da republica, ontem no telejornal, diz, e mesmo depois de se dar ao cuidado de nos lembrar que está a falar como ministro e não como líder partidário, que o governo regional dos Açores, escolhido democraticamente pelo povo açoriano (não poderá dizer o mesmo sobre o seu), ao contrário do governo regional da Madeira, é incompetente e que tem mesmo é de acelerar o passo senão o governo da republica não tem outra solução senão penalizar os açorianos.
Alguém tem dúvidas da menoridade com que somos tratados pela república. Não me venham com a treta de que este tratamento tem como base divergências políticas. Mentira. Este comportamento tem por base uma filosofia colonialista do estado português, que criou a "nossa" autonomia baseada nessa filosofia. Esta autonomia é falsa e só é travestiamente verdadeira quando é gerida por um tirano, pseudo-separatista (como na Madeira), ou quando a força política que manda em Lisboa é a mesma que manda nos Açores, e porque isso traz dividendos políticos, mais nada. Portanto com a autonomia que temos, este governo regional de Carlos César não é bom para os Açores, nem tão pouco o governo da república de Santana Lopes, ou vice-versa. Com esta autonomia as eleições para os parlamentos regionais deveriam ter uma data marcada sempre coincidente com as eleições parlamentares nacionais. Não sei que outra baboseira poderei acrescentar...

quinta-feira, agosto 26

nacionalidade é pura papelada

A propósito desta já estafada discussão sobre nacionalidade, nacionalismo e nação que tanto bruá vai dando em tantos blogues e que nasceu por obra e graça e esforço da medalha do Sr. Obikwelo (espero que ganhe hoje mais uma, não por mim que sou benfiquista mas por ele que parece ser boa pessoa) pareceu-me indicado trazer ao :ILHAS um outro texto de um Sr. Arruda que publica noutro blog e que dizem é açoriano, seja lá o que isso for, e que apesar de ser sobre ondas diz alguma coisa sobre este assunto...

Estrangeiros


Ainda me lembro do Almir Salazar ser campeão nacional, para mim ele não era brasileiro era surfista. Um surfista experiente que não deu hipótese para ninguém e pôs toda a gente a surfar melhor no ano a seguir. No surf não existem emigrantes, existem viajantes. Se Duke Kahanamoku não tivesse feito de embaixador do espírito Aloha nós hoje éramos todos pescadores e esta revista era sobre caça submarina. Que venham os Justin e os Nuande, que haja mais Dapins e Sacas querendo ir para fora, só correndo riscos é que se ganha, só procurando é que se pode encontrar. Nacionalidade no surf é pura burocracia. Abram os campeonatos a quem quiser competir e deixem as ondas escolher os seus habitantes. Se o Marlon Lipke ganha lá fora é alemão ou português? O Eric Rebiere é brasileiro ou europeu? A única nacionalidade de um surfista é o mar, o resto é papelada.


Post publicado na revista
ONFIRE


PA


quarta-feira, agosto 25

Uma escapadela de fim-de-semana.
Um - ainda - paraíso.
Recomenda-se mas com moderação.

- Boa noite!

- Abrimos o telejornal com as últimas notícias sobre a situação de crise em Fátima.
- Pelo segundo dia consecutivo, as forças de coligação norte africanas têm o Santuário de Fátima completamente cercado e ameaçam entrar no Santuário se o Bispo Cerqueira e os seus seguidores não se entregarem até depois de amanhã, até às 6 da manhã. As alas do Santuário já foram, parcialmente, destruídas pelas forças da coligação, no bombardeamento que decorreu durante toda a noite. Nas imagens recolhidas pelas câmaras, são óbvios os clarões que iluminaram Fátima durante toda a noite. A cidade está praticamente abandonada.
- O padre Victor Simão, porta-voz do bispo Cerqueira, e das suas forças, pediu à comunidade internacional a sua intervenção e o envio de unidades de sangue e apoio médico pois, segundo ele, "existem dezenas de feridos, graves, dentro do santuário, muitos deles peregrinos" apanhados nesta tragédia.
- O Cardeal Patriarca de Lisboa, que, até ontem à noite, tentou negociar uma rendição das forças que estão no interior do Santuário, hoje numa declaração à saída da sede da Cruz Vermelha, na cidade de Lisboa, disse que estava a caminho de Fátima e pedia a toda a população portuguesa, e a todos os cristãos, de todo o mundo, para se dirigirem para Fátima. Quando questionado sobre qual a sua intenção sobre a sua ida para Fátima, o Cardeal disse que "Pode-se invadir o País, mas Fátima não. De qualquer maneira a minha intenção é que não haja um maior derramamento de sangue."
- Numa notícia relacionada, a ala militar da Opus Dei emitiu hoje mais imagens dos reféns muçulmanos desaparecidos em Évora, já na semana passada, e num comunicado declaram que se as forças da coligação norte africana tomarem o santuário de Fátima, os reféns serão sumariamente assassinados por crucificação, um cada 2 horas, até ao abandono do Santuário pelas forças da coligação...

O Manuel não acredita no que acabou de ouvir no telejornal. Sai da tasca sem olhar os velhos nos olhos. Todos hipnotizados com as notícias. Grande parte dos seus amigos já partiram para Fátima, a sua mãe chora todos os dias e berra da janela, para os vizinhos ouvirem, gritando que se fosse jovem, ela própria já estaria a caminho. A sua namorada já o olha de lado como que a perguntar, e tu? Hã?.
E eu? E eu? Pensa o Manuel. Eu não quero saber de missas desde que me crismei, com doze anos. Nunca gostei do padre Mota, aquele nojento que já naquela altura lhe tentara apalpar o cu.
Não, não queria morrer, nem pelo bispo não sei das quantas, nem por aquele maricas de Lisboa, cinzento de pele e sempre vestido de vermelho, nem mesmo por Nossa Senhora de Fátima (Deus me perdoe)...
Pensara em partir, dizer a todos que ia para Fátima. A mãe choraria, orgulhosa, da janela, mas ele ficaria, depois, pela serra, escondido, à espera que esta merda se passasse... Mas não. Ele sabia que iria, tinha que ir...

terça-feira, agosto 24

14:ILHAS:DISPONÍVEL

nos seguintes locais_

Academia de Livros
Alabote
ARCO 8 - bar.Cancelas da Doca
Biblioteca Pública e Arquivo de Ponta Delgada
Biblioteca de Vila do Porto
Café Internacional
Casas da Cultura
Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo
Centro Médico do Aljube
Centro Municipal de Cultura
Colégio 27
Delegação de Turismo de Ponta Delgada
Etis - Bar Cultural
Farmácia do Corvo
Foxys.bar
Galeria Fonseca Macedo
Hotel do Colégio
IAC - Instituto Açoriano de Cultura
Livraria Bertrand
Livraria Gil
Livraria Solmar
Loja d' Eles
MUU - Produções
Museu de Angra
Museu dos Baleeiros
Museu Carlos Machado
Museu das Flores
Museu da Graciosa
Museu de S. Jorge
Oficina Têxtil/Sandra Botelho
Pavillon - Restaurante
Posto de Informação Juvenil
Rotas da Ilha Verde
Sociedade Amor da Pátria
Teatro Ribeiragrandense

[ainda a visita do Ministro]

Não é justo que um ou outro ministro se imiscua no debate político regional, passando para a opinião pública a ideia de que os seus líderes regionais são fracos.
Carlos César ao Independente de 13/08/04. Para quem vai a "carapuça"!?...

[comunicado oficial]

Já chegaram a Ponta Delgada os world famous - Qué-flô? Quanto!? E*r#s. Não, obrigado!

3-0

uma vergonha!!

o que está do outro lado do blogue

às vezes é bom não dizer nada, gozar o silêncio e a ausência, ou, como dizia o outro, ai que prazer não...

Continente não é Modelo, é Identidade

O Joel Neto apresenta no Não Esperem Nada de Mim a sua engraçada e inteligente definição de Continente. Obrigado ao João Pacheco pelo alerta.

Quando é que chega a minha vez de mandar?

Pertenço a uma geração em que os pais é que, indiscutivelmente, mandavam. Depois um homem haveria de casar e mandar na sua casa. Segundo as regras de Deus, as crianças viriam e obedeceriam.
Apanhei-me numa geração transitória em que quem manda em casa é ela e, sem nos darmos por isso, a ditadura (dura) dos filhos foi implementada.
Vou fazer queixa à Amnistia Internacional, porque afinal, quando é que chega a minha vez de mandar?

(resultado de umas adoráveis, e caóticas, férias de 15 dias, em S. Jorge, com os meus 17 irmãos, cunhado, cunhadas e sobrinhos, todos na mesma casa.)

segunda-feira, agosto 23

aquele abraço

é só para, em nome do :ILHAS, agradecer a todos os que estiveram no jantar de blogues, foi muito agradável, esperamos no próximo juntar ainda mais gente. Thanks.

domingo, agosto 22

[birthday]

Blur | Modern Life Is Rubbish |1993

It's my birthday
No one here day
Very strange day
I think of you day
Go outside day
Sit in park day
Watch the sky day
What a pathetic day
I don't like this day
It makes me feel too small
I don't like these days
They make me feel so small
...

sexta-feira, agosto 20

Efeméride (2)



A 20 de Agosto de 1940, León Trotsky é mortalmente ferido aquando do seu exílio no México.

Foto e informação obtida aqui.

Efeméride (1)

Em 1876, Sir Henry Stanley adquiriu, para o rei Leopoldo II da Bélgica, uma extensão de terra, três vezes e meia o tamanho actual do Texas, na floresta tropical equatorial, nas margens do rio Congo. A intenção não era criar nestas terras uma colónia belga. Eram propriedade privada e exclusiva do soberano.
Através de tratados com os nativos e depois com os estados europeu e com os americanos acabou por conseguir declarar-se soberano do Estado Livre do Congo.
Por causa das condições atrozes de vida impostas aos colonos, condições políticas na Bélgica e por causa de dividas contraídas pelo rei para com o estado belga, a 20 de Agosto de 1908 as terras do agora Congo Belga passam a pertencer ao reino belga.

(li a efeméride no Diário dos Açores, achei o máximo, e obtive o resto da informação aqui)

A minha primeira viagem no Ponta Delgada

O meu prémio por ter acabado bem o 6º ano escolar foi um passeio (se bem que de passagem) por todas as ilhas dos Açores, no Ponta Delgada. Eu com 12 anos e a minha irmã com 13, lá fomos acompanhados pelo meu pai. Tínhamos um camarote, eu e a minha irmã, tomávamos as nossas refeições na mesa do comandante e a viagem correu lindamente. Especialmente a partir do Pico aonde o meu pai ficou "a fazer política", e a minha irmã, e eu, continuamos na nossa viagem de aventuras, "sozinhos". Apesar de parte dessa aventura ser o andar de barco, isso era algo que já estávamos habituados a fazer, pois antes do 25 de Abril, vários foram os anos em que viemos para o nosso verão nos Açores de barco. O Funchal ou o Angra do Heroísmo.
Para mim, a maior aventura vinha da descoberta de novas ilhas, particularmente as Flores e o Corvo. Quando nos aproximávamos de novas ilhas eu ia para a popa e imaginava-me o primeiro a por os olhos naquela ilha, ainda virgem, e quando nos afastávamos sentia sempre uma nostalgia, e já uma saudade, e a todas prometi, baixinho, num sussurro, voltar.
Não posso aqui publicar um diário dessa viagem, mas, por alto, não me posso esquecer de termos perdido, por minutos, o barco em S. Jorge, por causa de um passeio oferecido pelo Dr. Sobrinho, que incluiu a oferta de um queijo de S. Jorge, para mim na altura, enorme. Tivemos que alcançar o barco à boleia de um barquinho, de um "subornado" pescador, que dançou e rebolou até alcançar o Ponta Delgada, e eu sempre agarrado ao meu grande queijo de S. Jorge. Quase que o perdi quando tive de proceder a um verdadeiro salto circense entre o barquinho e o Ponta Delgada.
Não me esqueço de no Corvo ter tido a noção de ter viajado no tempo, isto culminado por um "maluquinho" que na praça central se gabava, aos poucos de nós que descemos no Corvo, de ter estado, na casa D. Maria Pia, com o Salazar. Para mim, isso, na altura, parecia-me um dado quase pré-histórico. Logo a seguir, nas Flores fomos visitar uma antiga colega da minha mãe que estava destacada na farmácia local, aproveitei e comprei uns comprimidos, pequeníssimos, para o enjoo. Tinha sofrido de um ligeiro enjoo na longa viagem e não queria arriscar que o mesmo, ou pior, acontecesse na viagem de volta ao grupo central. Depois de tomar o dito cujo, no caminho de volta ao Ponta Delgada, pus-me a ler as indicações. Lembro-me que li que, nalguns casos, este medicamento poderia causar sonolência. Num espaço de trinta segundo comecei a sentir-me cansado, pedi à minha irmã para nos sentarmos num jardim e já não me levantei. Foi levado em braços para o barco e dormi profundamente horas sem fim. Não me despedi da minha nova, e conquistada, ilha, mas na realidade não enjoei na viagem de volta ao grupo central. Até a hoje, nunca tornei a experimentar qualquer medicamento contra o enjoo.
No todo ficou na memória a simpatia dos açorianos de todas as ilhas, a beleza singular de cada sítio e acima de tudo a aprendizagem de um sentimento, que me lembro perfeitamente ter sentido pela primeira vez, de que erámos um arquipélago, e de ilhas "todas iguais e todas diferentes". Ficou também nas memórias da minha primeira viagem no Ponta Delgada, essa galera na qual descobri e conquistei os Açores, circa 1976.

quinta-feira, agosto 19

[nostalgia 2]


Após esta notícia (no Açoriano Oriental de hoje): Associação não desiste de salvar o "Ponta Delgada" - O popular navio de passageiros e mercadorias que durante muitos anos ligou as ilhas açorianas e chegou a navegar em Moçambique, foi encontrado afundado na baía de Lisboa, onde estava acostado já em avançado estado de degradação. No arquipélago, a embarcação terá parado de navegar nos anos 80, numa altura em que o avião ganhou terreno no transporte inter-ilhas. Porém, Carlos Bulhão Pato, da Associação de Defesa do Património Marítimo Açoriano, não desiste e diz que tudo pode ser possível no futuro. Tal como a recuperação de um dos Pareces, o «Senhora da Guia», o «Espalamaca» e tantos outros esquecidos. Arménio Parece é um dos empresários que aplaudem tudo quanto vise a conservação. E se mais não se faz é devido à falta de mão de obra e altos custos, comportáveis «só para governo e câmaras municipais» - recordei as inúmeras viagens que efectuei interilhas, durante mais de uma década, e antes da SATA chegar às 9 ilhas. Comparativamente, o Golfinho Azul é um paquete ao lado do Ponta Delgada. Aliás, quando o vi atracado em Cacilhas, a meio dos anos 90, nem queria acreditar no tamanho do navio onde as correrias da minha infância pareciam não ter fim... O final inglório de um navio que deixou e fez História. Este "afundamento" já havia sido "notícia" na 8:ILHAS cujo tema foi o MAR.

"o sonho português"

VS o [sistema].

[o Túnel]

Para quem "" até ao "fim".

[summerdinnerparties]

quarta-feira, agosto 18

Essa ilha que vive entre o ar e o mar

Meninos e meninas, neste mês de jogos olímpicos, há um blog que se adiantou (ou não se atrasou) milhas, (ou, como se diz em S. Jorge) "quilhómetros" de distância.
Entre o dia 3 e o dia 9 de Agosto a Mariana ardeu muito mais do que o mar. Ela foi uma pequena homenagem a Henri Cartier Bresson. Ela foi poemas de João Mendonça / Zeca Medeiros, Toquinho e Vinicius de Moraes, Alexandre O´Neill. Ela foi textos de Vergílio Ferreira, in "Pensar", Teixeira de Pascoaes, in " O Homem Universal". Ela foi um texto espectacular de Rodrigo Francisco do blog na cama. Ela foi um artigo de Miguel Sousa Tavares in, Jornal Público, 12 de Junho de 1999, dedicado à sua mãe, ou a outro anjo qualquer. Ela foi três poemas da sua autoria, "Poema Porto", "Notas" e "Poema para a minha avó Ana". Neste último, se por acaso, por grande injustiça divina, a avó Ana ainda não tivesse conquistado as suas asas de anjo entre os humanos, estas foram-lhe publicamente insigniadas, aqui, por essa deusa, essa ilha que vive entre o ar e o mar.

Jantar

Sábado, dia 21 de Agosto, por volta das 20:30 na simpática casa de pasto O Avião.
Vou aceitar as confirmações em forma de comentário a este post, na sexta tenho que dizer o número certo de pessoas, até agora conto 12, portanto vejam lá isso e apitem...

terça-feira, agosto 17

[amigos]

Parabéns à Mónica, ao Nuno e ao recém-chegado Rodrigo...um forte abraço :ILHAS.

E agora

...algo verdadeiramente surpreendente.


Vamos esperar que a participação de Portugal nas Olimpíadas de Atenas 2004 não se reduza ao medalhado ciclista "Paulinho".

A banda sonora perfeita para este Verão. Em particular para todos aqueles que passam o dia com o monitor por companhia. Gilles Peterson é um dos dj's mais conceituados da actualidade e tem dado a conhecer (e a re-descobrir), ao globo, algumas "pérolas", principalmente, via rádio.

Vai e Vem

Não, não é o filme de César Monteiro. É, sim, um dado conseguido com a "preciosa" ajuda do deputado VC por via das inúmeras deslocações à capital em busca da República e da ajuda "prometida".

segunda-feira, agosto 16

[quote of the day]

(...) So much of what you consume when you get older is about accommodation; I have less time, less tolerance for bullshit, more interest in good taste, more confidence in my own judgement.
Retirado de 31 Songs por Nick Hornby.

Turismo de Qualidade


Onde ficará "Thin Tip"?
e "Town of Port"?
e "D João of Castrate"?

Dirija-se à agência de viagens mais próxima e solicite o folheto da J. F. Costa lhe promete levar de barco a estes locais.

E ainda dizem que não há grafitti de "qualidade" em Ponta Delgada. Isto apesar, obviamente, desta forma de "cultura urbana" não estar completamente difundida e dos recursos/referências estéticos aplicados sejam, no final, muito limitados. O nosso "graffer" em causa tem orientado a sua acção para uma série de protagonistas de culto. E depois de Bruce Lee é tempo para Charles Bronson - comemora-se no dia 30 de Agosto o 1º aniversário da sua morte.

domingo, agosto 15

[a caminho da Ribeira Quente]

Alguém já reparou na quantidade de "barbecues" que pontuam os mais diversos recantos das estradas da(s) ilhas(s)!? Neste fim-de-semana pude constatar, para além do sofisticado aparato logístico, a introdução de uma inovação - barracas de campismo. De modo a que depois do repasto se possa, confortavelmente, proceder ao merecido descanso. Infelizmente, o nosso repórter, de serviço, não se encontrava munido de dispositivo fotográfico para registar o soporífero acontecimento.

[sugestão cinéfila]

Apesar da crítica é a única proposta, esta semana, capaz de proporcinar uma ida ao cinema em pleno mês de Agosto. Em ambas as salas da cidade de Ponta Delgada.

[em manutenção]

Este blog é um projecto "colectivo". Encontra-se, neste momento (durante este mês), em fase de testes - a solo. Pelo sucedido pedimos desculpa a todos os utilizadores do :ILHAS. Prometemos ser breves - Q/B.

sábado, agosto 14

(...) os espanhóis não têm condições para vir pescar nas águas dos Açores (...)

Desculpe, importa-se de repetir!? "Entrevista" do Ministro da Agricultura e Pescas - Costa Neves - ao Telejornal da RTP-A de 11/08/04.

quinta-feira, agosto 12

Nostalgia


Vi. Entrei. E comprei. São 2 DVD's que, literalmente, recuperam o "mítico" concerto de 89 em Blackpool (cuja cópia em VHS já há muito que se encontrava imprópria para consumo); todos os vídeos; aparições na TV e um vídeo caseiro dos Roses. Estou-me a preparar para, provavelmente, o maior flashback da minha vida...

Peregrinação à banheira pública

quarta-feira, agosto 11


E antes do regresso, de férias, da "ala" Direita - a "esquerda", que trabalha, aproveita para postar - CHE - em versão light.

terça-feira, agosto 10

Jantar de Blogues

As alternativas são as seguintes:

Sábado dia 21 de Agosto
às 21:00 no Restaurante/Bar Aliança
ou
às 20:30 na Casa de Pasto O Avião

a unica condicionante é o número de pessoas se forem mais ou menos de dez, menos de dez Aliança, mais de dez Avião.

Manobras Perigosas

Mais uma "Cabala". Nem o director da PJ está a salvo!? Retenham esta passagem - "O magistrado afirma ainda que enquanto director da PJ perturbou "múltiplas e indistintas pessoas, entidades e interesses", os quais "têm demonstrado inusitada capacidade para manipular e vilipendiar". Será que ninguém "a" põe na ordem!?

segunda-feira, agosto 9

Sopranos (em versão tripeira)

Uma questão hilariante após um gesto "democrático". Futebol de primeira via besugo.

A capital do Interior

Alguém leu a proposta de descentralização - pró-interior - veiculada por José António Saraiva!?...

[Arquitectura Açoriana pt.2 - o Pombal]

Fotografei incrédulo alguns exemplares, de todo "exemplares", que pontuam a paisagem "urbana" e, sobretudo, rural de São Miguel. Deixo aqui estes mas existem outros que nas próximas semanas irão figurar por aqui. Não se podem "impor" gostos mas penso que há "limites". É pena que as restrições de projecto se fiquem por aqueles que, muitas vezes, são o garante ou constituem uma mais valia em termos de qualidade formal e estética. E porque será que isso acontece!? Como curiosidade e após tirar a foto no ecrã estava escrito - press escape to delete. Esbocei um sorriso - era bom que fosse assim tão fácil!

domingo, agosto 8

COUPLAND

Um site para matar o ócio das férias, em particular, as do co-blogger - João Nuno. O escritor da Geração X revela-se, agora, em papéis diversificados - quer como artista plástico quer como actor.

[o pagador promessas]

E ao 3º dia - descobriram a Graciosa. Obrigado VC. Brevemente numa freguesia perto de si.

...

Um blog de gente "séria" e que agora se permite ao conluio com um "terrorista" de causas - parabéns LFB!

[Arquitectura Açoriana pt.1]

O lote. O bairro. Uma curiosa criação que prolifera de forma anárquica. A liberdade criativa do proprietário e o devaneio do arquitecto que no final é engenheiro ou desenhador. Um cancro que se alojou na paisagem construída das ilhas. Este é um mal que não veio por bem - seguramente!

[coluna de opinão]

Um olhar atento e contemporâneo aos novos modelos mediáticos e à evolução do jornalismo. Leitura obrigatória.

[título] redundante

Grandes Incêndios na Origem de Metade da Floresta Ardida

E agora

...algo completamente diferente a Sudoeste.

sexta-feira, agosto 6

Hiroshima


O lançamento da 1ª Bomba Atómica foi há 59 anos.

[mercados internacionais]

Este tipo de noticia - transporta-me para o cenário/pesadelo dos filmes da "guerra fria", nos idos 80's, em que se desenhava um futuro catastrófico, que afinal é hoje - exige reflexão. É, nos "dias que correm", extremamente importante a introdução de energias renováveis. Alternativas não poluentes ao petróleo. Mas, a "moeda de troca" entre os poderosos do 3º Mundo e os países do 1º tornou-se um "eficaz" mecanismo de "chantagem" e contrapartidas. Ao contrário do que é dito a riqueza, gerada pelo "ouro negro", não é distribuída equitativamente pelas populações dos países produtores. Longe disso. Perspectiva-se "nova" Guerra Contra o Terrorismo. O Sudão!? Ou noutro "irmão africano"!?

Pensar o Desporto

é o tema da última revista ":ILHAS" por Rui Jorge Cabral
in AO de 05/08/2004

Já está disponível ao público, gratuitamente, a 14ª edição da revista ":Ilhas", que pode ser recolhida praticamente em todas as instituições públicas e privadas ligadas à Cultura nos Açores.

Criada como uma revista de opinião, a ":Ilhas", uma realização da "MUU - Produções Culturais", pisca desta vez o olho ao grande rival da Cultura - o Desporto - que, vem a saber-se, acaba por ser afinal um amigo de longa data, dado a paixões exacerbadas.

Com textos do escritor e jornalista açoriano Joel Neto, que recentemente publicou um livro sobre José Mourinho, João Pacheco de Melo, Carlos Decq Mota, Sidónio Bettencourt ou Onésimo Teotónio de Almeida, a ":Ilhas" dedicada ao Desporto procura apresentar o seu lado emotivo e até puro, das recordações dos grandes momentos televisivos, aos dramas do campo de jogos lá da rua.

À mais recente edição da ":Ilhas", não faltou sequer a "estrela" do futebol açoriano, Pauleta. Através de um curioso inquérito, fica a saber-se que o "Ciclone dos Açores" prefere a baguete ao croissant, não tem preferência entre Benfica e Sporting e que prefere o pé à cabeça para marcar golo.

quinta-feira, agosto 5

"aparentemente ilegais" (?????)

Governo de Durão Barroso fez 38 nomeações nas vésperas de sair

O anterior Governo, chefiado por Durão Barroso, despediu-se há três semanas com a atribuição de 38 novos cargos públicos, revela hoje o "Jornal de Negócios". A 28 de Junho, o ministro da Saúde assinou os despachos para a nomeação de três pessoas. No mesmo dia, o ministro das Obras Públicas fez uma nomeação para o cargo de director-adjunto do Gabinete de Prevenção de Investigação de Acidentes com Aeronaves e Durão Barroso nomeou seis pessoas para ocupar outros tantos cargos públicos. O jornal refere que essas nomeações são "aparentemente ilegais" porque esbarram na lei sobre o estatuto do pessoal dirigente dos serviços do Estado.

Hoje é dia de "Moody Blues"

Não se esqueçam de levar uma "cadeirinha" e uns tampões pró-sonoro. A cultura camarária insular consegue "secar" em três dias o orçamento para todo o "ano cultural". E nos restantes 11 meses!? Vivemos a expectativa do que vem no Verão!? Ainda para mais com a selecção que por aí vai. E fora a cultura de concelho existem as rivalidades da praxe. Há apenas uns dias o responsável pelas festas do Cais do Pico apregoava na RTP-A que aquelas eram, sem dúvida, as melhores festas do Triângulo. Que Triângulo!? Alguém quererá rivalizar com o das Bermudas!? Mas, sobretudo, não há pachorra para este revivalisno de ocasião e de charupada que alguém anda a "impingir" - como de um grande negócio se tratasse - aos nossos autarcas ultra-periféricos.

quarta-feira, agosto 4

Morreu Henri Cartier-Bresson

Porquê?

(...) há sectores importantes que são quase "feudos" de determinadas ilhas. Por exemplo, mais de 80 por cento do investimento público regional em estradas no ano passado foi em São Miguel. Em contrapartida, na Cultura e Património, quase 50 por cento do investimento público foi feito na Terceira. São Miguel, com mais de metade da população dos Açores, só teve direito a 5 por cento do orçamento regional da Cultura (mais uma vez chamando a atenção para o facto desta percentagem não ter em conta o investimento não desagregado). Por Rui Cabral no AO de 30/07/04.

[garantias]

A pré-campanha já anda aí. O "progresso" - esta palavra devia ser banida do vernáculo político regional - é para já uma "promessa". Palavra de VC. Graças a D*** - A***. Será o político contemporâneo um pagador de promessas "pós-moderno"!?

terça-feira, agosto 3

Cultura

Agora que a facção centro-direita do blog foi de férias (bom, centro-direita é o João Nuno, porque o TóZé é um híbrido, é uma espécie de esquerda-independentista, se é que tal coisa é possível, quem sabe...), agora que só restamos os MUU's o blog ganhou uma preocupação cultural que antes estava latente mas nunca tão explicita como agora. Os meus dois sócios estão em pulgas com uma Sra. Bustorff e com o que pela imprensa vão dizendo os intelectuais do país. O que é que vos preocupa, meus caros, o aumento ou a diminuição do subsidio? Não que nós, a MUU, seja grande receptora de subsídios, antes pelo contrário (não é Sr. Vasco Pereira da Costa??!!), aliás o nosso principal patrocinador até é uma grande cadeia de comercio a retalho, benditos sejam e que prosperem, mas como tudo o que em Portugal anda, nós também andamos à custa do estado. Ora a questão que se põe neste momento é a indefinição de política e o horror com que andamos todos de pensar que o mais provável é a política ser de fogo de artifício e não de cultura. O mais provável é a futura política "cultural" vir a ser feita de maiorias e não de minorias. A cultura (e aqui há espaço para uma metáfora de democracia), a cultura, dizia eu, deve ser feita de minorias, de imensas minorias (obrigado X-FM), de variadas e eclécticas minorias. A cultura deve dar voltas de 360º ao espectro da vida e nunca parar de rodar. O horror que nos invade é pensar que nos próximos dois anos, em cima das políticas autárquicas e autonómicas de cultura que só pensam em populaça e arraial vai ser o próprio estado a dar o exemplo com medidas tão cretinas e espúrias como mudar uma secretaria do património para Évora (e porque não Angra do Heroísmo, isso é que seria descentralizar) e criar uma "coisa" chamada Secretaria de Estado das Artes e do Espectáculo, que é como quem diz uma agencia de show business, tipo Endemol-Musica no Coração-Filipe La Feria tudo num. A cultura é e deve ser a soma das partes, o conjunto das manifestações que caracterizam a vivência de um povo e que vão desde a festa de aldeia até ao cinema de autor e às artes performativas, tudo o que não tenha este espectro de iniciativa e de abertura será sempre menor e condenável. O país e as regiões correm a passos largos para a ditadura do Júlio Iglesias e o único, mínimo, dado positivo de alento e de esperança é que a Teggy, dizem, gosta de Dave Brubeck, mas isso, também, pode não querer dizer nada, eu também gosto de Luis Miguel.

Jazz em Agosto

Um dos maiores eventos do género começa hoje em Lisboa. Do Canadá ao Japão - formas inéditas do jazz contemporâneo pela mão de Rui Neves. A não perder.

Alguém ponha ordem na Casa

Será um truque publicitário!? Uma accção concertada dos vários candidatos!? Ou apenas "sede de poder"!? Nos últimos dias as intrigas e as (falsas) polémicas fazem a delícia dos jornalistas - sempre disponíveis para mais uma ronda de vazio noticioso. Basta seguir por aqui, ali e acolá. É este o País Relativo!?...

Expectativas!?

Não tenho esperança nenhuma que este Governo faça qualquer coisa de parecido com os meus desejos por Miguel Lobo Antunes. O depoimento e as expectativas do país cultural perante a nomeação da nova Ministra da Cultura. A reter e a ler, na integra, pós-post do Vitor.

segunda-feira, agosto 2

[fim-de-semana em Agosto]

Fico à espera

...da estreia em Ponta Delgada de "Any way the wind blows" - "Pára onde o vento sopra" com argumento, realização e banda sonora de Tom Barman - 1ª longa do vocalista dos dEUS.

Enquanto não chega, não sei se alguma vez chegará, visitem a página oficial em Any way the wind blows e deliciem-se com a banda sonora com temas de Charles Mingus, Squarepusher, Charlie Parker, J J Cale, Roots Manuva e Herbie Hancock entre outros.

E agora... [objectivo SUDÃO]

Outra notícia pouco animadora. Pós-Iraque - a saga da "guerra anti-terrorismo" continua...noutro cenário e com a "preciosa" ajuda dos "Aliados". Mais um drama num país e numa região em constante ebulição social - facto já aqui referenciado pelo Tozé.

Frase da última semana

Mário de Carvalho a Maria João Bustorff

"Demarque-se, desde logo, do "jet set", dos fascistas e dos futeboleiros. Dão um aspecto de trogloditismo e iliteracia. Considere que o mais humilde cineasta da Beira ou o mais ignoto pintor Açoriano serão sempre mais importantes para este país que qualquer ministro da Cultura."

in Actual, 31 de Julho de 2004


A sugestão cinéfila da semana. Com uma programação de veraneio e apontada para a pipoca esta é a alternativa possível, em Ponta Delgada, ao novo Harry Potter. Nos Cinemas Solmar.

Até ao meu regresso...



Durante as próximas semanas o blog :ilhas volta às origens. Um abraço Alexandre, Pedro e Vitor, a casa é de novo vossa. Portem-se bem!

domingo, agosto 1

FÉRIAS



Definitivamente decidi encerrar para férias. Regresso em Setembro ou talvez não ! Quanto às férias da blogoesfera são um puro prazer egoísta já que por cá vou passando e lendo o que resto da «comunidade» vai postando.

Porém, «nada dura e , todavia, nada acaba, também. E nada acaba precisamente porque nada dura». Ora, este aparente enigma cínico de Philip Roth, prestado num contexto de crepuscular existência, bem poderia ser a descrição da minha retirada deste blog. É um exílio voluntário com a marca da esperança de cá regressar e com a certeza de que, seja como for, vou continuar na blogoesfera.

Entretanto, durante as férias, para quem é um leitor compulsivo como eu, é tempo de nos atiramos a alguns livros que, na voragem dos dias que passam, vão ficando em standby. Quem por cá anda na blogoesfera seguramente que padece do mesmo vício da leitura obsessiva. Assim, para aqueles que mais estimo no underworld da blogoesfera peço que relevem o descaramento de algumas sugestões personalizadas. Na lista que se segue não há qualquer colagem literal ou subliminar do título ao leitor. Importa sim o sumo destas delícias que já consumi e cuja leitura ou releitura recomendo com apreço.

Para o Nuno Barata e ainda para quem anda equivocado a propósito do tema, recomendo uma obra de Jaime Nogueira Pinto que, sob o título «A Direita e as Direitas» ( Ed. De 1996 da Difel ) traça, numa escrita límpida, as coordenadas ideológicas da Direita em Portugal e Além Mar.

Para o meu estimado Médico de Família,Carlos Falcão Afonso, sabendo das escassas oportunidades que possui para dedicar às minudências da ficção literária ainda assim não daria o seu tempo por mal empregue com «A Terra dos Cegos» de H.G.Wells ( Ed. de 1955 da Atlântida )...por vezes em terra de cegos quem tem olho não é rei !

O Tózé, com o espírito crítico e cosmopolita que incenseia sempre que pode, é certo que faria cuidada degustação de uma obra que foi propalada como o romance sobre o suicídio do Ocidente e que, em França, mereceu o repúdio dos intelectuais bem pensantes por ser crua e politicamente incorrecta. Falo de «As Partículas Elementares» de Michel Houellebecq (Ed. de 2000 da Temas e Debates). Neste romance perturbante que nos questiona a cada página, agrada-me particularmente a sua despiedade e o desmistificar dos ícones da segunda metade do Sec. XX. Afinal, desde os anos 60, o enigma é sempre o mesmo:como se entreter numa sociedade metafisicamente dessacralizada ? Uma leitura com bolinha vermelha, et pour cause, obrigatória para o camarada Tózé !

Para o fleumático André Bradford fica a sugestão de «O Buscão» de Francisco de Quevedo ( Ed. Livros do Brasil de 1988 ). Esta obra, com pergaminhos que rondam os quatro Séculos de existência, é uma barroquíssima sátira sobre a perfídia da sobrevivência picaresca, debruada com uma filigrana de humor sublime ao alcance de qualquer inteligência medianamente superior...muito melhor do que qualquer best-seller Americano !

Para a indispensável e insubstituível Ana Falcão sugiro «Viúva por um ano» de John Irving ( Ed. de 2000 da Asa ). Aqui está um «tijolo» que demanda perseverança mas, a saga existencial de Ruth Cole, é um dos melhores romances que já li. O traço psicológico e das idiossincrasias das personagens é notável. Só se lamenta que os reveses de Ruth Cole tenham um fim...porém, o modo como o autor põe um ponto final na história é de uma magistral eficácia...à colação espero que a Ana ponha um ponto final na sua relação com o «Além Mar»...já que não abdica dos cigarritos pelo menos que fume do melhor que por cá se faz e que leva a benção de «Santa Justa» !

Para o simpático e amigo Pedro Arruda (a.K.a de Mendoza) recomendo particularmente o «Último Suspiro do Mouro» de Salman Rushdie (Ed. de 1995 da Dom Quixote)que é apenas uma torrencial saga familiar onde também se esboroam Impérios...para orientação narrativa convém marcar a página 13 com a árvore genealógica dos Gama, dos Menezes e dos Souzas !

Para o Alexandre Pascoal vai «A Desgraça» (Ed. de 1993 da Dom Quixote) em cujo enredo Coetzee nos leva numa urdidura de mal entendidos e preconceitos bem intencionados tão contemporâneos de uma abordagem sociológica do nosso tempo!

Para o Mário Roberto uma guloseima de Carmen Posadas que leva o nome de «Pequenas Infâmias» ( Ed. de 1999 da Temas e Debates ) e que não é mais do que uma farsa social, em tom policial, de um grupo de personagens tipo que gravitam em torno de um cozinheiro e dos segredos perversos que guarda no seu livro de receitas...Ah esquecia-me de dizer que os comensais assassinam o mestre de culinária.

Para o Nuno Mendes, um dos melhores Jornalistas que esta terra já conheceu, uma viagem literária, por outras terras e outras gentes, a bordo do «Meu Chapéu Cinzento» ( Ed. de 2001 da Asa ) com direito a partir ou chegar pela crónica que Olivier Rolin escreve sobre os Açores.

Finalmente, mas não menos relevante, para o «empresário» cultural Victor Marques é tempo de reler Woody Allen em «Para acabar de vez com a cultura» (Ed. de 1988 da Bertrand)... afinal de contas todo este divertissement é relativo, até porque, «primum vivere, deinde philosophari»...que é como quem diz os bifes primeiro e a cultura depois.

... Cá por mim no que respeita a leituras vou continuar com a «Mancha Humana» de Philip Roth ( Ed. de 2004 da Dom Quixote ) que é uma delicatessen de cinismo como só os escritores americanos sabem cozinhar...para entremear, com alguma comédia, vou relendo Zeca Soares, esse grande poeta Micaelense, que a revista Açores assevera estar em fase de «percurso ascendente»... é mesmo melhor ir a banhos e só regressar para Setembro.

Posto isto até um dia destes num blog perto de si !