quinta-feira, julho 18

R.I.P., André Bradford



"(…)
O homem saiu da Tabacaria (metendo troco na algibeira das calças?).
Ah, conheço-o: é o Esteves sem metafísica.
(O Dono da Tabacaria chegou à porta.)
Como por um instinto divino o Esteves voltou-se e viu-me.
Acenou-me adeus gritei-lhe Adeus ó Esteves!, e o universo
Reconstruiu-se-me sem ideal nem esperança, e o Dono da Tabacaria sorriu."

Tabacaria, Fernando Pessoa, 15/1/1928


Até sempre, André, pois, na noosfera, não há Adeus.




Foto "roubada" do Ardemares

2 comentários:

Açor disse...

Caro Carlos Rodrigues.
Infelizmente já tinha dado conta num comentário ao post do Alexandre Pascoal desta nevasta notícia e agora para além do que escrevi, só posso rever-me nas tuas palavras e ao menos constatar que o ilhas não se esqueceu dos seus e que o meu amigo (permita-me este abuso)Carlos Rodrigues soube encontrar as palavras certas neste momento difícil, bem haja por isso...
As minhas condolências à familia.
Açor

Mariana Matos disse...

Ardemares cede com gosto a foto. ;)