sábado, abril 30

Aprile

...
Em Abril, mês de revoluções e outras pulsões, recordação para o pasticciere trotzkista ...do filme Aprile de Nanni Moretti. Nos indíces da OCDE estamos muito próximos do modelo mafioso siciliano a começar pelo nosso capi di tutti capi. Ainda assim prefiro um pasticciere trotzkista a um latino socretino. No resto estamos a mille miglia de Itália...a começar na falta de "estilo".

...

10 verdades insofismáveis sobre o "Turismo Açoriano"


1.
Veículo de excelência para as exportações e entrada de divisas estrangeiras, para equilíbrio da nossa balança comercial, pelo que, os transportes – em termos de rotas, preços e equipamentos – se afiguram fundamentais;
2.
Fala-se do “Turismo” como um novo ciclo na economia açoriana e, apesar do conceito de reciclagem continuar a ser mal comunicado aos sectores primário e secundário, nunca estivemos tão conscientes das suas vantagens;
3.
Nunca estivemos tão bem preparados para encarar a desafiante dinâmica do “Turismo” mas, o sucesso não depende só da promoção. Produto é preciso, pelo que, acirrar a criatividade de todos os players é imprescindível;
4.
Turismo de qualidade não é, definitivamente, o que nós tanto ambicionamos ter;
5.
Há já um meritório trabalho feito na área da formação dos recursos humanos que contribui decisivamente para a elevação dos padrões do serviço oferecido ao cliente e, oxalá, contribua também para a abolição dos métodos de gestão obsoletos e da forma retrógrada de encarar os negócios;
6.
A consolidação dos Açores enquanto destino turístico é desejada, é falada, é necessária mas, continuamos a ignorar os passos a dar para a sua verificação, esquecendo ainda que se trata de uma acção de melhoria contínua;
7.
Também no “Turismo”, o so-called “Desenvolvimento Harmónico dos Açores” é uma utopia e deve, urgentemente, ser tratado como tal, até mesmo para a preservação daqueles que têm que andar mais devagar;
8.
Até neste “santuário no meio do atlântico” a “Indústria do Turismo” é volátil. Pena é que, por cá, esta realidade seja encarada como um risco (desmobilizadora, portanto), em vez de ser considerada como a grande alavanca para o binómio “Inovação/Desenvolvimento, com uma aplicação transversal à economia açoriana;
9.
Fala-se de animação turística mas, na realidade, ninguém quer ser tratado como turista. Devíamos, pois, falar de entretenimento: dentro e fora dos hotéis; de dia e de noite; orientado para as várias idades e para os vários géneros das pessoas que nos procuram. É tudo isto - somado e bem operacionalizado – que se procura quando se viaja e que, nos Açores, é oferecido abaixo da linha de água;
10.
Em quase todos os componentes da oferta turística açoriana, a ausência de políticas de segmentação que não assentem apenas no preço contribui massivamente para a criação de uma imagem desfocada daquilo que os Açores têm para oferecer.

É por estas (e há de ser por outras ainda) que estamos todos – profissionais, empresários (dentro e fora do ramo), políticos e população – muito confusos. Até os clientes, com as crescentes dificuldades espalhadas um pouco por todo o mundo, estão confusos também.

Para terminar e em jeito de nota de rodapé, gostaria de relembrar que ignoramos muitas vezes a velha máxima do marketing (tantas vezes difundida e tantas outras mal compreendida): “custa muito mais arranjar clientes novos do que manter os habituais” (e talvez por isto não tenhamos uma taxa de repetições interessante) que, associada à intensidade que devemos colocar na concepção e entrega da “EXPERIÊNCIA AÇORIANA” (a qual gostaríamos de ver impregnada em todos os nossos turistas), deveria, pelo menos, ajudar-nos a desconstruir a dicotomia em que assenta o referencial do mercado nacional relativamente aos arquipélagos portugueses: “Vou de férias para a Madeira e vou visitar os Açores”.
foto daqui

sexta-feira, abril 29

Uma coisa em forma de assim



Estreou hoje em Lisboa em Dia Mundial da Dança. Os Açores integram a digressão nacional que passa por Angra e Ponta Delgada, a 06 e 09 de Julho, respectivamente.

...Eu hoje deitei-me assim !

...
~
...
Com Terrier Callier + Massive Attack ; mas sem o vodka

Genial !?!



"Na minha próxima vida, quero viver de trás para frente.
Começar morto, para despachar logo o assunto.
Depois, acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa.
Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia.
Trabalhar 40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável, até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo.
E depois, estar pronto para o secundário e para o primário, antes de me tornar criança e só brincar, sem responsabilidades. Aí torno-me um bébé inocente até nascer.
Por fim, passo nove meses flutuando num “spa” de luxo, com aquecimento central, serviço de quarto à disposição e com um espaço maior por cada dia que passa, e depois – “Voilà!” – desapareço num orgasmo."
Woody Allen

quinta-feira, abril 28

quarta-feira, abril 27

Camerata Alma Mater


Programa

E. Grieg
A Morte de Ase, op. 46 (da Suite do Peer Gynt)

A. Schoenberg
A Noite Transfigurada, op.4

E. Grieg
Holberg Suite, op. 40

Mais um concerto da Temporada de Música - Açores 2011 esta noite na Igreja do Colégio, em Ponta Delgada. A entrada é livre.

terça-feira, abril 26

Há emoções a mais na minha carteira

Podre

Um governo corrupto com um mitómano perverso a liderar o gang desta associação criminosa seria suficiente, num país civilizado, para um "impeachment" do primeiro-ministro, ou numa farsa de nação terceiro-mundista motivo bastante para um linchamento do mesmo. Num país de "brandos costumes", como o nosso Portugal, a vil personagem de Sócrates sobrevive e com tendência a subir nas sondagens ! Este é um País onde o único líder da oposição ainda não acertou o passo com a Esperança nele depositada, que até a sua gravata verde promete, e entre causas nobres vai, para mal de todos, perdendo pontos para o inimigo. Sim, "inimigo", porque no caso do Sr. Pinto de Sousa não se trata de um "adversário" político mas de um verdadeiro inimigo de todos os Portugueses e da falência fraudulenta a que nos conduziu.

Neste arremedo de País a descrença instalou-se também com um Presidente da República que se deixou ultrapassar por um primeiro-ministro que de fiscal de obras, algures "em alguidares de baixo" na Beira interior, e de duvidosa deontologia, alcandorou-se ao poder. No resto os Portugueses olham com fastio para as mesmas personagens de sempre : o tele-evangelista do Louçã com a sua retórica terrorista, o camarada Jerónimo com a mesma cassete de sempre, e o hábil Paulo Portas que está sedento de regressar ao poder, e ao estadão do Forte de São Julião da Barra, sendo que para tal fim qualquer meio de coligação lhe serve com o PSD ou com o PS. Posso ser néscio, mas acredito que ainda há Portugueses com presciência q.b., e dois dedos de testa, que olham para esta realidade tal como ela é.

Os mesmos Portugueses que neste dia da Liberdade se sentem ultrajados e humilhados por terem a sua Soberania alienada às agências de rating, à plutocracia do euro, e aos tecnocratas do FMI que com a sua pastinha preta aqui chegaram para fazerem o trabalho que devíamos ter feito. Uma infâmia que quase legitima, a posteriori, a sugestão de suspensão da Democracia que, em bom rigor, é o que vai suceder com os pacotes de austeridade em retrocesso social negando direitos sociais que foram sendo construídos desde a legislação laboral mais progressista de Marcello Caetano.

Os Portugueses que ainda têm orgulho não podem deixar de se sentirem ofendidos na sua honra com esta camarilha da Abrilada, como o patético Otelo Saraiva de Carvalho, que em acto de contrição se confessa arrependido de ter feito o 25 de Abril...mas nunca se mostrou "arrependido", como os outros camaradas da organização terrorista FP 25 de Abril, que perpetrou, com sangue e morte, o revanchismo de uma revolução que não terminou no modelo Cubano ou Romeno como Otelo e os seus pares queriam.

E que Justiça se fez ? A que se sabe com indultos Presidenciais pelo meio, e bons e beneméritos ofícios de Mário Soares, com a cumplicidade de tantos outros sem a consciência pesada dos crimes que cometeram contra os Portugueses a começar pelo contrabando da descolonização.

Ora, neste túmulo à deriva que é Portugal ainda se exige uma reforma da Justiça como solução para todos os males ! Para quê ? Para depois quando a Justiça funciona e condena os cleptomaníacos do erário público, por corrupção e outras manigâncias, a malta ir logo a seguir votar neles como tão bem ilustra o paradigma da "felgueirização" ? Ou para andar "séculos" em autos para memória futura de um caso como o da Casa Pia e ter o legislador por trás -(sem qualquer conotação sexual entenda-se)- a manipular a legislação moldando-a oportuna e tempestivamente à medida das conveniências ? A reforma da Justiça não serve para isso, nem serve para politizar uma estirpe de "procuradeiros" e "procuradeiras" com uma agenda mediática em vez de terem uma agenda forense.

E quanto à reforma de boa parte da classe política é matéria que também já pouca atenção merece dos Portugueses. Por uma razão tão simples e básica: os Portugueses não se identificam com a sua classe política, e não se revêem entre iguais, até porque a utopia de um "governo do povo, pelo povo e para o povo", infelizmente, não é nossa e nem sequer cuidamos de a importar dos States. Sinal dessa falta de identidade, típica de um sistema de castas, é o exemplo burlesco, mas ilustrativo do mais recente debate aceso nas redes sociais e no oráculo do facebook : o quid é o de saber se os nossos insignes e ilustres representantes no Parlamento Europeu devem ou não aero-deslocar-se para as suas funções em "Classe Executiva" ? Para mim, e creio que para a maioria silenciosa de todos nós, a pergunta é retórica...menos para os próprios eleitos ! A Pátria falida e a classe política a discutir alcavalas e privilégios que deviam ser os primeiros a renunciar.

Entretanto o País definha, estende a mão de esmola, e endivida-se sem nada para garantir essa dívida que não seja o sangue, o suor e as lágrimas dos Portugueses. Sim, porque o resto é o que se vê : um País obcecado com as Finanças, mas sem uma linha sequer de orientação para a Economia. O "tecido produtivo" entrou em entropia apesar do prometido eldorado da CEE e do clube do Euro. Tudo isto sempre produzindo como se fossemos uma república das bananas, mas sempre com a soberba de gastarmos como os Alemães, cujos bólides os Portugueses tanto idolatram. Perdemos nestes anos de Europa a nossa indústria, a nossa agricultura, e a nossa pesca, e como não podemos comer "serviços", nem asfalto ou "bétão", estamos cada vez mais dependentes das importações até para a mais básica das funções: comer!

De caminho os campos vão ficando abandonados e a juventude que os podia trabalhar olha-nos de soslaio, frequentemente, entre a névoa de heroína que lhes marca o olhar e a que tantos se entregaram num fenómeno bizarro de ruralização das drogas duras!

"E o Povo Pá" ? Bem o Povo esse apascenta placidamente em mcdrives, e outras gamelas do fast food, que têm a vantagem de manterem a turba sedada com o estomâgo cheio e do mesmo passo opera uma cirurgia estética dos respectivos cérebros satisfeitos com tal ilusão de cosmopolitismo.

Enquanto houver pão e circo não há também revolução. Neste cenário só por dever de ofício e de calendário é que faz sentido "celebrar" a Revolução de Abril como se "celebra" a morte de um egrégio e malogrado sonho. Este ano creio que além da memória não há mesmo nada para celebrar.

Para darmos a volta a isto o que é que podemos fazer ? Não respondo ao estilo da geração rasca. Lembram-se ? Só nos resta trabalhar mais para darmos o exemplo e cumprirmos o nosso Dever, e termos a autoridade moral de exigirmos a higienização de Portugal, porque Abril é quando um Português quiser, e até hoje ninguém foi capaz de prever quando seria a próxima Revolução.

Uma coisa é certa o cravo do 25 de Abril não está murcho...está é mesmo podre. "Boa noite"... e gang por gang, prefiro o dos artistas,...como este "Palma’s Gang" liderado por Jorge Palma e que há muito nos interroga com este Portugal, Portugal.
...

...

segunda-feira, abril 25

48



Partindo de uma série de fotografias de prisioneiros políticos, Susana Sousa Dias volta a centrar-se no período do Estado Novo e realiza um documentário sobre os 48 anos de ditadura em Portugal (1926-1974). Mostrando os rostos das vítimas da PIDE, pretende-se que o espectador observe cada imagem ouvindo, em voz off, o depoimento vivo da pessoa em questão, usando as pausas e os silêncios como meio de reflexão.

Em dia de celebração da Liberdade, uma exibição mais que oportuna do 9500-Cineclube. 48 passa esta noite, pelas 21h30, no Solmar Avenida.

domingo, abril 24

Azores: 10 Best Trips of Summer 2011

Maia, ilha de Sta. Maria

A selecção é do National Geographic Traveler e distingue os Açores ao lado de destinos como a Patagonia, o Alaska, as Honduras, entre outros.

Uma recomendação que nos orgulha e que deve servir de estímulo para trabalharmos - no sector turístico e em todos os outros - mais e melhor.

* Linkado daqui

sábado, abril 23

Old habits die hard

Para além de um magnífico dia de Primavera hoje tivemos barco. No entanto, existem hábitos que não mudam...

...Eu hoje deitei-me assim !


...
She is a blast.
Que continue assim.
Por enquanto é ADELE que lhe serve de banda sonora

quinta-feira, abril 21

Agente Provocador



Emissão de 5ªf do Agente Provocador com Herberto Quaresma, João Nuno Almeida e Sousa e Alexandre Pascoal.

A actualidade musical e 'mundana' para ouvir em directo na Antena3 - Açores, a partir das 22h00, nas seguintes frequências:

S. Miguel 87,7 MHz
Terceira 103,0 MHz / 103,9 MHz
Faial 102,7 MHz

terça-feira, abril 19

A Estética da Dádiva


Jacinto Lageira é o terceiro conferencista do Ciclo de Conferências - ISTMOS que hoje acontece pelas 21h00 na Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada.

Corvo

O Corvo visto das Flores através de lente espanhola.
... ... Don't ever give me up ... aí está um bom wishfull thinking e power qb para ir à luta. Com esta do novo álbum dos The Kills, + uma RedBull Light, não há energia que falte to get back on track. "Blood Pressures" é um dos grandes discos de 2011. Ainda sem direito a video apreciem o mais importante : o som. Aqui no : Ilhas é só grandes músicas porque nestes tempos quem canta seus males espanta. É dar-lhe com o volume no máximo e vibrar com o charme de Alison Mosshart e o riff de guitarra que a acompanha

domingo, abril 17

...Eu hoje deitei-me assim !

...



"GRANDES ESPERANÇAS"

... "Desencantado com a vida, a família e os amigos, disse adeus ao mundo e refugiou-se na adega com vista sobre o mar do Canal. Ao fim de sete dias e sete noites de muito beber, começou, finalmente a ver uma luz ao fundo do tonel." ...

(in "Breves, Brevíssimas e (des)aforismos" no obrigatório "Que Paisagem Apagarás" de Urbano Bettencourt )

segunda-feira, abril 11

Chamem a Polícia

...

Portugal está tecnicamente falido ! Pelo menos é o que se presume do pedido de resgate num S.O.S. de aproximadamente 100 mil milhões de euros !

A Pátria, para quem ainda tem o romantismo de se importar com tal conceito, está exangue e prostituída nos mercados e feiras dos agiotas internacionais. Estamos de mão estendida e esta crise económica, financeira, e social tem a assinatura do Partido Socialista. A sua responsabilidade tem um rosto: o de Sócrates.

A depauperização de Portugal deve-se à deriva pessoal de um Nero dos tempos modernos pois José Sócrates é isso mesmo e vendo Portugal a arder, sem ter nada mais a perder, sempre que pode atiça ainda mais a incineração do que ainda resta por queimar.

Com este pedido de ajuda externa estamos apenas a contrair um empréstimo para pagarmos o buraco das nossas contas. Pagamos dívidas com a contracção de outras dívidas e alguém ainda acredita que por aí vamos sair da recessão? A isto chama-se atirar dinheiro aos problemas o que, não sendo parte da solução, só serve para dilatar a vigência do problema. A injecção de 100 mil milhões de euros para equilibrar as nossas contas, em ponto de fusão nuclear, é um indicador tenebroso e sugere que o buraco onde estamos é seguramente bem maior. Só pode ser, a avaliar por ser a estimativa de um governo que mente reiterada e compulsivamente. Como acreditar neste governo e nas suas contas quando até agora esteve em negação! Desde o primeiro momento em que esta associação de socialistas tomou o poder que assistimos a um folhetim de enganos. Quem não se recorda da falsificação das contas públicas e dos dados do défice que afinal não eram o que eram? Quem não se recorda do rigor socialista do Banco de Portugal a aferir o défice do exercício que receberam para depois derraparem nos seus próprios valores ? É esta a farsa e o enredo deste PS feito à imagem e semelhança de Sócrates. Uma comédia negra onde todos somos vítimas. Depois dos défices baralhados e da suborçamentação, era a crise que tinha passado ao largo de Portugal - (e também dos Açores) - e afinal aí estava. A seguir, foi o discurso da confiança e de que íamos sair da crise com as medidas de austeridade. PEC´s, mezinhas avulsas e um Orçamento do Estado penalizador para todos, menos para Sócrates, seriam suficientes. Afinal, não eram ! Seria necessário um PEC IV, alegadamente por imposição de Bruxelas, mas, que os Portugueses ficassem tranquilos, pois seriamos capazes de passar o cabo das tormentas sem precisar do reboque do FMI ! Nas cenas dos últimos capítulos, deu-se o dito por não dito, e já era indispensável o FMI, porém, como este era um governo em gestão, afirmaram que esse encargo seria passado adiante.

Para quem ainda não se estafou deste relato sabe agora que, afinal, o governo formalizou o pedido de ajuda externa ao dito FMI. Ainda há alguém que acredite neste nosso primeiro-ministro além da estimável e veneranda progenitora? A pergunta era, obviamente, retórica.

Na verdade, aqui chegamos pelas mãos de Sócrates e ninguém acredita que o buraco de milhões no qual nos atolamos surgiu instantaneamente com o chumbo do PEC IV. Essa é mais uma falsa declaração a juntar a tantas outras no julgamento popular, à falta de melhor, no qual se espera vir a condenar Sócrates.

Mas antes que ele fuja não chamem o FMI mas sim o FBI...chamem mas é a polícia.

JNAS na edição de hoje do Açoriano Oriental

Cinema no Feminino

No Inverno há um Ano (Im Winter ein Jahr) de Caroline Link esta noite no 9500-Cineclube.

domingo, abril 10

...Eu hoje deitei-me assim !

...

...
new single from one of my favourites...Ladytron...Love it from the heart
...Enjoy It.

Inside Job

Inside Job ganhou em 2011 o Óscar para melhor documentário.

Ao longo de quase 2 horas enumera as razões que levaram à crise económica de 2008, cujos efeitos se estenderam a todos os pontos do globo...

É caso para dizer que não podia ter chegado em melhor altura.

sexta-feira, abril 8

Entrevista

Fotografia Bernardo Rodrigues
«(...) Há quem diga que, a muitos níveis, os Açores estão à distância de muitos anos dos ditos grandes centros desenvolvidos. Considera que isto também se verifica a nível arquitectónico? Os Açores são um tesouro que começa a ser descoberto e falado no circuito que pode ser uma alavanca do seu sucesso. O circuito internacional do turismo e natureza sustentável. A arquitectura que tirar partido disto, reinterpretar a história local, o uso da pedra, da madeira da lógica dos muros e dos aglomerados estrada como falei e claro se souber igualmente propor saudáveis apontamentos únicos de interpretação da natureza única, integrados, será a criação de benchmark peculiar, uma fusão da natureza e da inteligência humana.»
Entrevista de Bernardo Rodrigues na edição de 08 Abr'11 do Expresso das Nove.

[+] relação directa

quinta-feira, abril 7

Agente Provocador



Emissão de 5ªf do Agente Provocador com Herberto Quaresma, João Nuno Almeida e Sousa e Alexandre Pascoal.

A actualidade musical e 'mundana' para ouvir em directo na Antena3 - Açores, a partir das 22h00, nas seguintes frequências:

S. Miguel 87,7 MHz
Terceira 103,0 MHz / 103,9 MHz
Faial 102,7 MHz

segunda-feira, abril 4

Berlim: Sinfonia de uma Grande Cidade

Realizado por Walter Ruttmann (em 1927) passa esta noite no 9500-Cineclube @ Cinema Solmar.

Exibição acompanhada ao vivo, e em tempo real, pelo quarteto de improvisação livre, constituído por:

Ernesto Rodrigues (Viola de arco)
Gianna de Toni (Contrabaixo)
Luís Couto (Guitarra eléctrica)
Carlos Medeiros (Flauta)
Biagio Volandri (objectos amplificados)

Stop ! ...Rewind

...

...

Sometimes I get to feelin'
I was back in the old days - long ago
When we were kids, when we were young
Things seemed so perfect - you know ?
...
The days were endless, we were crazy - we were young
The sun was always shinin' - we just lived for fun
Sometimes it seems like lately - I just don't know
The rest of my life's been - just a show
...
Those were the days of our lives
The bad things in life were so few
...
Those days are all gone now but one thing is true
When I look and I find I still love you
You can't turn back the clock, you can't turn back the tide
Ain't that a shame ?
...
Ooh, I'd like to go back one time on a roller coaster ride
When life was just a game
...
No use in sitting and thinkin' on what you did
When you can lay back and enjoy it through your kids
Sometimes it seems like lately - I just don't know
Better sit back and go - with the flow
...
'Cos these are the days of our lives
They've flown in the swiftness of time
These days are all gone now but some things remain
When I look and I find - no change
...
Those were the days of our lives yeah
The bad things in life were so few
Those days are all gone now but one thing's still true
When I look and I find, I still love you
I still love you
...

sábado, abril 2

@ Ribeira Grande e Praia da Vitória


15H00-15H15 | Sessão de abertura

15H15-15H45 Arq.ª Inês Moreira - Curadora Cultural
A curadoria e a investigação enquanto actividades criativas

15H45-16H15 Dr. Ricardo Nicolau – Adjunto do Director do Museu de Serralves (em representação do Director)
O despertar dos mortos: como viver em conjunto

16H15-16H45 Prof. Doutor Nuno Nabais – Director da Fábrica Braço de Prata
Como é possível construir um centro de artes e ideias sem depender de subsídios

16H45-17H15 Dr. Miguel Silvestre – Adjunto do Presidente do Município de Óbidos (em representação do Administrador Executivo da Óbidos Patrimónium)
Óbidos Criativa

17H15-17H30 | Coffee-Break

17H30-18H00 Mestre Ana Isabel Ribeiro
Casa da Cerca – (um) Centro de Arte Contemporânea (em Almada)

18H00-18H30 Dr. Natxo Checa – Director da Galeria Zé dos Bois

18H30-19H00 Arq. Sérgio Fazenda Rodrigues
Arquipélago – desafios e ambições

19H00-19H30 | Debate

[+] aqui

sexta-feira, abril 1

Cozido das Furnas - forte candidato* ...


... a uma das 7 maravilhas gastronómicas de Portugal.
* (digo eu)

"As candidaturas foram apresentadas pela Confraria dos Gastrónomos dos Açores e incluem a Linguiça frita com inhame e a Morcela frita com ananás, ao nível das entradas, assim como a sopa do Espírito Santo, na categoria de Sopas. No Peixe, as candidaturas regionais serão o Polvo Assado no Forno e o Bacalhau Frito de Molho Vilão com Minhotes.

Na categoria de Carne, concorrem o Cozido das Caldeiras (Cozido das Furnas), o Bife Regional dos Açores, o Caldo de Nabos e a Alcatra. Ao nível do marisco foram apresentadas as Lapas Grelhadas, Cracas cozidas e o Cavaco Cozido com Molho Verde.
"

foto de Fernando Resendes

Primeira Low Cost portuguesa começa a voar em Setembro

"Chama-se FlyPortugal e será a primeira companhia aérea low cost de bandeira portuguesa. À frente deste projecto empresarial está Miguel Júdice, administrador do Grupo Lágrimas e presidente da AHP. Ao que o Publituris conseguiu apurar o conhecido empresário tem o apoio de um capital de risco com fundos árabes com interesses no nosso país." (arrisco dizer que o cpital de risco vem do Quatar, ou de bem perto de tais paragens)

Por aqui

Qualquer semelhança com tal realidade é, mesmo, pura conicidência.

April fools

«Portugal 'sells' Ronaldo to Spain in €160m deal on national debt»
Diz que esta mentira não é inocente.